Acesso ao Ensino Superior em Espanha

Ao longo dos últimos anos, muitos têm sido os jovens portugueses a escolher as Universidades Espanholas para realizar os seus estudos universitários, sobretudo na área da Saúde, e em particular no que respeita à Medicina.

O Centro de Estudos de Espanhol é pioneiro em Portugal na preparação dos alunos candidatos ao Ensino Superior em Espanha. Concebemos cursos específicos para os candidatos que têm como objetivo o acesso à Universidade em Espanha, disponibilizando uma equipa de professores especializados e informação detalhada e rigorosa. Adicionalmente, responsabilizamo-nos pelo processo de candidatura dos nossos alunos. 

Dado tratar-se de uma matéria complexa e em permanente atualização, forneceremos informação detalhada sobre o processo de candidatura mediante entrevista pessoal na Secretaria de qualquer um dos nossos Centros. 

Acordo com a UNED

O Centro de Estudos de Espanhol é uma das entidades internacionais que assinaram o acordo de colaboração com a UNED, a universidade sediada em Madrid responsável pela gestão do acesso de candidatos estrangeiros ao sistema universitário espanhol.

Esta colaboração é um reconhecimento do trabalho desenvolvido por este Centro ao longo das últimas décadas e sela o compromisso de ambas entidades em oferecer os melhores serviços aos estudantes portugueses que pretendem estudar em Espanha.

Informação detalhada sobre o acordo de colaboração disponível aqui.

 

 
 
 

Testemunhos

O acesso à Universidade é só o início de uma nova etapa. Que acontece uma vez atingido esse grande objectivo? Que sentem estes alunos? Como é a sua adaptação à vida universitária em Espanha?

Recolhemos alguns testemunhos de antigos alunos do Centro de Estudos de Espanhol, que pensamos poderem ser inspiradores para os jovens e suas famílias.

Luís Guilherme Santos, à porta da Facultad de Medicina
Luis Guilherme Santos
Universidad de Santiago de Compostela (2011/2012)

 “Senti uma enorme alegria quando soube que tinha sido colocado. Foi o cumprir de um sonho de vida, o resultado de muito trabalho e esforço. Nada pode pagar isso, e nada se compara com o sentimento de se saber que se vai cumprir um sonho. Estar longe de casa, da família e dos amigos é um preço a pagar, mas acreditem que vale a pena."

 

Ana Beatriz Vaz e os seus colegas de  curso, festa de “San Lucas”, padroeiro da Medicina.
Ana Beatriz Vaz
Universidad de Salamanca (2013/2014)

“A experiência está a ser incrível, também tive sorte de já conhecer algumas pessoas que já cá estavam, mas estou a gostar muito e o curso de medicina está muito bem estruturado, para além de que temos o hospital mesmo ao lado e as instalações são muito boas. Acho que está a valer a pena a experiência, nunca me arrependi e estou desejosa de fazer o curso, mas claro que é preciso estudar e não é pouco!”

Carolina e Madalena com colegas de curso (entre elas, várias antigas alunas do Centro de Estudos de Espanhol)
Carolina Dias e Madalena Machado
Universidad de Salamanca (2013/2014)

“Entrar em Medicina foi sempre o nosso sonho e Espanha surgiu como uma forma de alcançar esse objectivo. No início do curso de preparação era tudo novo, o que nos deixou com algum receio, mas com dedicação tudo é possível. O melhor sentimento é quando todo o esforço é recompensado. Estudar fora dá-te uma nova perspectiva de vida, tens que te adaptar a muitas coisas diferentes, contudo conheces muitas pessoas na mesma situação que estão prontas para te ajudar fazendo com que se torne uma experiência espectacular da qual não te arrependerás!”

Ana Pedro na festa de recepção ao caloiro em Lleida
Ana Pedro
Universidad de Lleida (2013/2014)

“Infelizmente não consegui entrar à primeira, quando estamos a estudar, para os exames nacionais e para a selectividade, como preferimos entrar em Portugal, deixamos os estudos para a selectividade em segundo plano… Ainda assim, como medicina sempre foi a minha vocação voltei a tentar. Consegui entrar, não por ter estudado mais, mas por encarar os exames de outra maneira."

 

Maria Bento, logo após ter formalizado a sua matrícula na Universidade de Salamanca.
Maria Bento
Universidad de Salamanca (2013/2014)

“Durante o curso de espanhol pensava muitas vezes o que seria de mim daí a um ano. Tudo o que me passava pela cabeça também era o quão longe estava o dia em que iríamos fazer os exames. A data chegou, inevitavelmente. Foi uma época stressante, mas muito recompensadora.

Adorava aqueles sábados (das aulas de espanhol), no entanto. Adorei as pessoas que conheci, os amigos que fiz. Permitiu que não me sentisse tão assustada na véspera de me mudar definitivamente para Salamanca, pois sabia que ia ter pessoas conhecidas à minha espera, exatamente na mesma situação que eu." 

 

Marta Amaro
Universidad de Lleida (2013/2014)

“Pensava que era uma forma de aprender espanhol de uma forma direcionada para o estudo e acesso ao ensino superior em Espanha e que seria uma mais valia para a minha possível adaptação em Espanha. Nunca pensei muito seriamente que fosse estudar para o estrangeiro (sempre pensei que fosse entrar algures em Portugal), mas era uma opção que não punha de parte e sabia que se tal acontecesse tinha que estar preparada para esta nova língua, visto nunca ter tido contacto com ela até ingressar no curso de espanhol deste Centro."

 

Beatriz Fernandes
Universidade de Santiago de Compostela (2015)

Nada se compara com o sentimento de saber que cumprimos um sonho. Graças ao Centro de Estudos de Espanhol isso foi possível para mim! Sempre quis entrar em Medicina, e com o chegar do 12º ano tive medo de não conseguir entrar. Ouvi falar nesta escola e pensei: “porque não?” Inscrevi-me e ainda hoje, passados dois anos, sinto muitas saudades de ir ao Porto todas as semanas para ter as aulas de Espanhol na Rua de Santa Catarina. E valeu a pena. Uma porta abriu-se e permitiu-me entrar em Santiago de Compostela. Estou no 2º ano e posso dizer que está a ser uma das melhores experiências da minha vida. 

 
 
 
 

Como se procede o acesso ao Ensino Superior em Espanha?

(INFORMAÇÃO EM ACTUALIZAÇÃO)

Os candidatos provenientes de países da União Europeia e de países com os quais Espanha mantém acordos educativos podem aceder ao Ensino Superior público espanhol através da via "Acesso União Europeia".

Para tal, os candidatos deverão reunir, no seu país de origem, as condições de acesso ao Ensino Superior. Deverão demonstrá-lo mediante a apresentação de Certificados nos quais constem os resultados obtidos no Ensino Secundário, os resultados dos exames nacionais realizados, e de um certificado, emitido pela Direcção-Geral do Ensino Superior (DGES) portuguesa, na qual conste a nota de candidatura do aluno no ano lectivo corrente, para o curso pretendido, numa escala de 0 a 200 valores.

Esta documentação será apresentada à Universidad Nacional de Educación a Distancia (UNED), a qual emitirá uma Credencial de Acesso ao Ensino Superior em Espanha, na qual irá constar a nota de classificação do candidato. Esta nota será obtida mediante a divisão por 20 do resultado que consta no certificado DGES.

Por exemplo, a um candidato que apresente um certificado DGES com uma nota de candidatura de 179 valores, a UNED emitirá uma Credencial com a classificação de candidatura em Espanha de 8,95 valores (numa escala de 0 a 10). 

Para além deste procedimento, os alunos poderão realizar até 4 Provas de Competência Específica (PCE), as quais lhe permitirão melhorar a sua nota de candidatura, podendo somar até 4 pontos adicionais. 

A escala de pontuação, para efeitos de acesso ao Ensino Superior em Espanha, vai de 0 a 14 pontos. 

QUE PROVAS DE COMPETÊNCIA ESPECÍFICA PODERÃO SER REALIZADAS? 

Os candidatos poderão efectuar de 1 a 4 provas de entre as seguintes:

  • Biologia
  • Química
  • Matemática 
  • Física
  • Geologia
  • Desenho Técnico
  • Inglês
  • Francês
  • Geografia
  • História da Arte
  • Desenho
  • Língua Castelhana e Literatura
  • Latim
  • Economia da Empresa
  • Matemática Aplicada às Ciências Sociais
  • História de Espanha
  • Fundamentos da Arte
  • História da Filosofia

Estas provas são avaliadas numa escala de 0 a 10 pontos e ser-lhes-á aplicado um coeficiente de ponderação variável de acordo com o curso a que os candidatos pretendem aceder (sempre que a prova tiver um resultado positivo, isto é, igual ou superior a 5).

 

Candidaturas às Universidades

Aproximadamente entre Maio e Julho, as Universidades espanholas abrem um período de pré-inscrições. Este processo corresponde à candidatura à respectiva Universidade, mediante a escolha, por ordem de preferência, dos cursos pretendidos. 

Os candidatos poderão efectuar pré-inscrições a quantas Universidades pretenderem, desde que cumpram os prazos e procedimentos estipulados pela respectiva Universidade.

Embora haja uma ligeira disparidade entre os calendários de admissão português e espanhol, é possível efectuar uma candidatura ao Ensino Superior em Espanha no mesmo ano em que o candidato está a concluir o 12º ano em Portugal. 

No entanto, e uma vez que os calendários de candidatura sofrem alterações anualmente, esta informação apenas poderá ser confirmada uma vez que se conheçam os referidos calendários de candidatura em Portugal e Espanha.